Proletários de todos os países: UNI-VOS! PCP - Reflexão e Prática

Festa do «Avante!», Edição Nº 295 - Jul/Ago 2008

Não há Festa como esta!

por Zózimo Amado

Aí está ela, em plena construção, a 32.ª edição da Festa do Avante!, que se realiza este ano a 5, 6 e 7 de Setembro na Quinta da Atalaia – Amora – Seixal.Festa do Portugal de Abril, da liberdade e da democracia, ela é a concretização da vontade, da iniciativa e da capacidade colectiva dos membros do Partido na sua realização e importante factor de mobilização e dinamização da organização do Partido.É a festa da fraternidade, da camaradagem, da solidariedade de classe e internacionalista, da paz e da amizade entre os povos, festa do povo, da juventude, das famílias e da luta com a confiança de que é possível uma sociedade melhor e mais justa.

Ponto de encontro anual de largos milhares de homens, mulheres e jovens, membros do Partido, da JCP, sem filiação partidária e até de outros partidos, que de norte a sul do país, incluindo as regiões autónomas e a diáspora, se deslocam durante os três dias à Festa, se encontram e convivem em sã camaradagem com representantes de outros povos dos quatro cantos do Mundo.

É uma festa ímpar, ao longo das suas sucessivas edições não há duas que recordemos iguais. E são diferentes porque cada ano é um acto concreto da imaginação, da criatividade e da capacidade de organização deste grande colectivo partidário que é o PCP, empenhado em fazer sempre melhor e tendo em conta as circunstâncias sociais e políticas em que decorre a sua realização.

O que afirmamos não é simples acto de retórica, são as próprias entidades e instituições públicas e privadas com quem temos relações no âmbito da preparação e realização da festa a reconhecerem a grande capacidade de organização, planificação, imaginação, criatividade, militância e dedicação dos seus fazedores e de que, em Portugal, só o PCP está em condições de realizar uma festa desta dimensão.

Perante este reconhecimento público, e até de grande parte da comunicação social, que, por muito que se esforce em tentar desvalorizar e silenciar o êxito das sucessivas edições da festa não consegue tapar o sol com a peneira, ou seja que a Festa do Avante! é o maior acontecimento político-cultural que se realiza anualmente no nosso país e que só um partido como o nosso, fortemente organizado, estruturado e enraizado nos trabalhadores e na população, está em condições de realizar.

Não é pois por acaso que persistem os ataques à Festa do Avante!, particularmente através da Lei do Financiamento dos Partidos, que é, no fundamental, uma lei virada contra o PCP, com o propósito de ingerência na nossa vida partidária e com a pretensão de condicionar a promoção de iniciativas culturais, como é o caso da Festa do Avante!.

Com confiança e determinação continuaremos a lutar e a dar firme combate contra todas as políticas que ponham em causa as liberdades e a democracia, como no dia 1 de Março, na grandiosa Marcha pela Liberdade e Democracia promovida pelo PCP com mais de 50 mil manifestantes, em que os comunistas exibiram orgulhosamente o seu cartão de militante.

Após tantos anúncios de morte, de definhamento por parte dos arautos da contra-revolução sobre o fim do comunismo e do nosso Partido, aí estão, como sempre estiveram, os comunistas e o seu Partido a dar a resposta necessária.

Preparar a Festa do Avante! é também continuar a luta, certos de que a luta será dura e prolongada, mas com a consciência de que só lutando conseguiremos vencer.

Sócrates e o seu Governo, apesar de persistirem na sua política autista de ignorar as crescentes lutas de protesto dos trabalhadores e das populações, nas empresas e na rua – como são exemplo os trabalhadores da administração pública, dos professores, e a grande manifestação nacional de 5 de Junho, em que mais de 200 mil participantes encheram por completo a Av. da Liberdade demonstrando que não aceitam as graves alterações que o Governo pretende impor na legislação do trabalho – acabará mais cedo ou mais tarde por ser fortemente penalizado.

A Festa do Avante!, para além da sua componente política, cultural, científica, artística, desportiva, gastronómica, é também internacionalista e um amplo espaço de alegria e de convívio entre os seus visitantes.

É também um poderoso meio do Partido, através do contacto com largos milhares de visitantes, alertar e denunciar as políticas de direita dos sucessivos governos, particularmente a política que o actual governo PS/Sócrates está a levar a cabo contra os trabalhadores e contra as populações, pondo em causa inclusivamente a independência e a soberania nacional, contrariando promessas feitas quando estava na oposição, enganando assim o seu próprio eleitorado.

É a oportunidade para esclarecer e mobilizar os visitantes para a necessidade de se alargar a unidade na acção contra esta política de direita e, ao mesmo tempo, divulgar as propostas do PCP de ruptura com esta política e da necessidade de um novo rumo, por uma política diferente.

A campanha do Partido «Basta de Injustiças» levada a cabo nas empresas e locais de trabalho junto dos trabalhadores, denunciando as injustiças aos direitos, liberdades por parte do Governo e do patronato, tem contribuído para aumentar o nível de consciencialização e a disposição para a luta, para reforçar o apoio e a adesão ao Partido, demonstrando que «Sim é possível um PCP mais forte!».

É necessário aproveitar a realização da Festa para prosseguirmos o contacto com os seus visitantes, convidando-os a aderir ao PCP, bem como a comprarem o «Avante!» e O Militante para estarem mais informados sobre o trabalho do Partido e as suas propostas. Este é um trabalho de vital importância no presente mas também no futuro.

O recrutamento de novos militantes, em particular jovens, é condição fundamental para termos um Partido organizado, estruturado, cada vez mais forte e capaz de responder aos desafios com que venha a ser confrontado.

E tem sido assim a Festa do Avante! ao longo das suas sucessivas edições, na FIL, no Jamor, no Alto da Ajuda, em Loures e de há 18 anos a esta parte na Quinta da Atalaia, lutando em torno dos problemas concretos sentidos pelos trabalhadores e pelas populações, denunciando as políticas contrárias aos seus interesses, combatendo-as e apresentando proposta alternativas. As várias edições da Festa, sempre diferentes, em que várias gerações de comunistas se foram formando e ganhando consciência política, fortaleceram-lhes a confiança de que com o seu trabalho e a sua luta é possível construir um mundo melhor, justo e liberto da exploração do homem pelo homem. E de que através da passagem da nossa mensagem a largos milhares de pessoas que anualmente visitam a nossa Festa, o Partido se vai reforçando cada vez mais.





O homem sonha, a obra nasce!




Passado que foi o período de discussão e decisão sobre a concepção, o projecto, conteúdos políticos, culturais, artísticos, gastronómicos, desportivos, funcionamento, promoção e divulgação da 32.ª edição, e iniciados que foram as jornadas de trabalho no terreno nos dias 21 e 22 de Junho, prossegue a bom ritmo o trabalho de construção e preparação da Festa deste ano, apesar das exigências colocadas às organizações pela continuação do protesto e da luta nas empresas e ruas.

Estão em pleno funcionamento os vários grupos de trabalho para cada frente específica. Homens, mulheres e jovens, comunistas, membros da JCP, simpatizantes e até sem partido e de todas as camadas e classes sociais, com trabalho voluntário, abdicando das suas horas de lazer quer em jornadas de trabalho de fim de dia, fins de semana, e alguns até parte das suas férias, vão tornar possível a construção da Festa no prazo estabelecido.

No ano em que o Partido Comunista Português comemora 87 anos de vida, resistência e luta ao serviço dos trabalhadores, do povo e do país, os comunistas e o seu Partido não param para férias nem balanço da sua actividade e ao mesmo tempo que lutam e constroem a Festa, preparam activamente o XVIII Congresso do PCP, o qual se realiza nos dias 29, 30 de Novembro e 1 de Dezembro, em Lisboa.

Estamos em plena fase de promoção e de divulgação da Festa do Avante!, para além da colocação da propaganda fixa em cada região, são inúmeros os documentos que divulgam a sua realização, desde os boletins das células do Partido nas empresas, às tarjetas, folhetos alusivos, bem como os vários artigos no «Avante!», em particular o suplemento com a divulgação dos artistas, dos Estúdios móveis que percorrem várias regiões, à página do PCP na Internet, à Revista com toda a programação da Festa, ao Roteiro Gastronómico e Guia do Visitante, entre outros.

Promovido pela JCP, realizam-se este ano em 14 distritos, 34 concursos de Bandas Juvenis, cujos vencedores participarão no Palco Novos Valores.

Realizam-se também várias provas desportivas de promoção e divulgação da Festa, em que destacamos a prova de Cicloturismo.

Em cada Organização Regional e Sector do nosso Partido realizam-se iniciativas de promoção e divulgação da Festa, ajudando assim a tornar a Festa conhecida por muitos, ganhando-os para adquirir a EP e a vir à Festa!

Prossegue a venda da EP-Entrada Permanente, Título de Solidariedade. É imperioso incrementar a sua aquisição antecipada, como seguro do sucesso e da participação na nossa Festa.

Todos os anos são feitos melhoramentos no terreno e das condições para os visitantes, bem como serviços prestados.

Está assegurado com as várias empresas de transporte de passageiros o acesso à Festa, bem como os parques de estacionamento para visitantes que se desloquem em viatura própria.

Este ano, para além da contínua melhoria das condições na área da Higiene e Saúde Alimentar, foram aumentados os sanitários existentes, nomeadamente as cabines femininas e para deficientes.

Em cada Organização Regional e Sectores ultimam-se os preparativos para a participação na Festa.

Do vasto programa da Festa merece particular destaque a iniciativa da Abertura de sexta-feira e o grandioso comício de domingo com a intervenção do Secretário-Geral do PCP. Da variada programação artística e cultural nos vários palcos e espaços, preparamos uma surpresa na sexta-feira, no palco 25 de Abril, que certamente irá agradar a todos. Mas a programação não ficará por aqui e dará expressão às várias correntes artísticas, em que participam artistas nacionais e estrangeiros.

A Festa é Teatro, é Dança, é Etnografia e Folclore de norte a sul do país, é animação da mais tradicional às novas abordagens. A Festa é Espaço do Livro e do Disco, onde se pode encontrar desde a última novidade aos clássicos e outros livros que procuramos e que agora teremos a oportunidade de adquirir.

A Festa este ano, no Espaço da Ciência, vai abordar «Os Sentidos» e o lema será: «Com os sentidos transformar o mundo», onde haverá espaços de exposição e de experiências.

No Pavilhão Central, o visitante poderá encontrar duas grandes exposições: uma sobre O projecto do PCP e o XVIII Congresso e outra sobre A Realidade Nacional e a luta contra a política de direita do Governo e as propostas do PCP. No Fórum Central serão debatidos temas da actualidade política, haverá o espaço «À Conversa Com», o Espaço do «Avante!» e de O Militante, o espaço reservado às TIC’s e à Rádio Comuníc, uma exposição política evocativa dos 160 anos do Manifesto do Partido Comunista e dos 190 anos do nascimento de Karl Marx, e ainda sobre as «eleições» de 1958.

No Espaço das Artes Plásticas haverá uma exposição evocativa da vida e da obra do artista plástico e comunista Rogério Ribeiro.

A Festa do Avante! é também Desporto. Para além da tradicional Corrida da Festa, o visitante poderá assistir à demonstração de várias modalidades desportivas.

A Festa do Avante! é ainda a gastronomia e a doçaria, os melhores vinhos trazidos pelas organizações regionais do Partido, bem como a oferta gastronómica de outras zonas do Mundo.

A Festa do Avante! é também solidariedade internacionalista, troca de experiências e de outras realidades, da possibilidade real de construção da alternativa ao capitalismo. Este ano, para além da programação artística para o Palco Solidariedade e da realização de debates, haverá uma exposição evocativa do cinco anos da Guerra no Iraque e outra sobre os 50 anos da Revolução Cubana.

A Festa do Avante! oferece aos seus visitantes a possibilidade de conhecerem os quatro cantos do Mundo, as suas realidades, a sua experiência, as suas lutas e dificuldades, bem como a sua confiança no futuro.

A Festa é juventude que, com a sua presença, participação e contributo, a sua generosidade, entrega e dedicação, faz justamente da Festa do Avante! a festa da juventude e do futuro.

Com entusiasmo, alegria e forte convicção prosseguimos assim a construção da nossa Festa do Avante!, certos de que «não há festa como esta!».