Proletários de todos os países: UNI-VOS! PCP - Reflexão e Prática

História, Edição Nº 304 - Jan/Fev 2010

No Centenário da Revolução de 1910

por Revista «O Militante»

Em 5 de Outubro do corrente ano passarão cem anos sobre a revolução de 1910 que pôs fim a um regime monárquico anacrónico e desacreditado e instaurou a República, burguesa e liberal.Trata-se de uma importante efeméride da História de Portugal que o Comité Central do PCP na sua reunião de 21 e 22 de Novembro último decidiu assinalar.

Aquilo que já se conhece das celebrações oficiais do Centenário da República, assim como do posicionamento de certas instituições, não deixa lugar a dúvidas: as comemorações vão servir de pretexto e suporte para projectar dos dirigentes republicanos e da República uma imagem idealizada sem correspondência com a realidade concreta da intensa luta de classes que marcou os dezasseis anos da sua existência. Ou mesmo para procurar reescrever os últimos cem anos da nossa história apagando o papel da classe operária e das massas populares e a contribuição decisiva do PCP para os avanços libertadores do povo português, banalizando o fascismo, diminuindo o alcance da Revolução de Abril, promovendo forças e personalidades burguesas, a começar pela Maçonaria e área do Partido Socialista.

Ou seja, temos de estar preparados para a intensa luta ideológica que nos vai ser imposta a pretexto da efeméride, intervindo na medida das nossas possibilidades para, a partir da posição de classe do Partido, valorizar tudo quanto se situe na corrente do progresso e combater falsificações e instrumentalizações ao serviço das classes dominantes e das forças que as servem.

A Revolução de 1910, embora circunscrita à esfera política e limitada pela sua natureza de classe democrático-burguesa, constitui um marco histórico que devemos valorizar. Não por acaso o 5 de Outubro  – tal como o 31 de Janeiro que o antecedeu – foi bandeira democrática empunhada na resistência ao fascismo. E são os comunistas os herdeiros do que de realmente progressista e avançado para a época teve a revolução de 1910.

Ao longo do ano O Militante publicará artigos e documentos vários relativos ao Centenário da República, a começar com os que em seguida se inserem neste número a propósito da Revolta do 31 de Janeiro e da sua evocação no tempo do fascismo.