Proletários de todos os países: UNI-VOS! PCP - Reflexão e Prática

Álvaro Cunhal Centenário, Edição Nº 328 - Jan/Fev 2014

Um Congresso para o aprofundamento do estudo sobre a vida, pensamento e luta de Álvaro Cunhal

por Manuel Rodrigues

No diversificado, vasto e aprofundado programa das comemorações do centenário de Álvaro Cunhal, o Congresso «Álvaro Cunhal, o projecto comunista, Portugal e o mundo de hoje» assumiu um lugar ímpar.

Pelos temas tratados, o seu carácter integrado e a análise conseguida, o Congresso permitiu elevar a um novo patamar a abordagem política e ideológica sobre Álvaro Cunhal, a sua vida, pensamento e luta.

Tratando-se de um Congresso consagrado ao estudo do pensamento e acção de Álvaro Cunhal, importante legado que marcou o projecto comunista e as formas concretas que veio a assumir em Portugal, que influenciou decisivamente a sociedade portuguesa, que teve significativo impacto internacional e que assume uma grande importância na resposta às exigentes questões da actualidade, impunha-se uma reflexão que procurasse abarcar todas as dimensões da sua multifacetada intervenção: como homem, comunista, intelectual e artista. Dimensões que estiveram presentes nos quatro eixos temáticos principais e nas suas diversas formas de abordagem.

O homem, o comunista, o intelectual e o artista

Painel em que se procurou analisar a dimensão do homem de cultura, inteireza de carácter, que cedo se entregou à causa da emancipação social e humana dos trabalhadores e do povo e por ela lutou com coragem, tenacidade e abnegação raras, que aderiu ao PCP aos 17 anos de idade e abraçou o ideal e o projecto comunistas e a eles entregou a sua vida, consciente da importância do papel do indivíduo (inserido no trabalho colectivo) no desenvolvimento do processo histórico e da necessidade de uma organização política que defendesse os interesses de classe dos trabalhadores e, ao mesmo tempo, fosse portadora do projecto de superação do sistema capitalista pelo socialismo como sociedade nova, sem exploradores nem explorados. Dedicou-se de forma apaixonada e viveu com igual intensidade a sua intervenção política, desenvolveu aprofundada reflexão teórica sobre a realidade histórica, aplicando criativamente a teoria marxista-leninista e o seu método materialista e dialéctico; dedicou-se à defesa da natureza de classe e identidade comunista do Partido e, com igual paixão, ao fenómeno da criação artística, uma outra forma de intervir na transformação do mundo.

Democracia e socialismo

Neste tema foi dado destaque à coerência e consistência do seu pensamento e das lutas que travou, numa correlação que une indissociavelmente democracia e socialismo.

Lutador antifascista pela liberdade e democracia, ele é nesse combate o revolucionário que procura a integração dessa luta na luta de fundo pelo socialismo e o comunismo. Militante e dirigente comunista, ele será o estratega da revolução democrática e nacional, a matriz que orientará o processo da Revolução de Abril e permite compreender os seus êxitos e derrotas e os seus valores.

Só a compreensão dinâmica da Revolução portuguesa, no desenvolvimento das contradições que caracterizam a nossa sociedade ao longo das últimas décadas, permite perspectivar a saída para a actual crise, a projecção dos valores de Abril no futuro de Portugal.

Como foi referido no Congresso, é esta concepção que sustenta a unidade entre uma política patriótica e de esquerda e entre a democracia avançada e a revolução socialista. Unidade só possível com um partido comunista como aquele que Álvaro Cunhal ajudou a construir e pela acção da classe operária e das massas populares e do concurso de todos os democratas e patriotas empenhados em garantir o desenvolvimento do País, a sua soberania e independência e a elevação das condições de vida do nosso povo.

O processo de transformação social, o Partido e as massas

Tema em que foi salientado o contributo de Álvaro Cunhal na definição do objectivo, do projecto e do processo de transformação social no sentido da superação revolucionária do capitalismo pelo socialismo e o comunismo: as suas etapas, objectivos e as forças que intervêm no plano social e político capazes da sua concretização. Neste processo, é sublinhado o papel essencial da classe operária, dos trabalhadores, das massas populares com a sua organização, unidade e luta, e a necessidade de um partido de vanguarda, o partido comunista.

São abordadas as alianças sociais correspondentes à etapa actual e às mudanças necessárias e sua expressão em alianças políticas; é assinalado que a existência de diferentes partidos (com diferentes características e papéis na transformação social) corresponde à expressão e organização dos diferentes e antagónicos interesses de classe que servem.

Destacado o contributo de Álvaro Cunhal para a afirmação do ideal comunista, para a definição das características fundamentais de um partido comunista, dos traços fundamentais da identidade do PCP e das tarefas para o seu reforço no Portugal e no mundo de hoje.

Realçado ainda o trabalho individual e colectivo, o grande colectivo partidário, o Partido com paredes de vidro.

O capitalismo: os seus limites e o socialismo como alternativa

Nesta sessão, salientou-se o contributo de Álvaro Cunhal para a análise da formação, evolução e desenvolvimento do capitalismo em Portugal e no mundo; as suas contradições e limites; o determinante papel da classe operária e da luta de massas como expressão da luta de classes na superação revolucionária do capitalismo pelo socialismo; Foi destacada a indissociável relação entre a questão de classe e a questão nacional, na teoria e na prática do PCP, bem como a grande importância que o PCP sempre atribuiu ao enquadramento internacional da situação portuguesa e aos deveres internacionalistas dos comunistas portugueses; debatido ainda o aprofundamento da crise estrutural do capitalismo, o seu desenvolvimento, as suas manifestações; analisado o processo de integração capitalista europeia e a crise; a resistência e a alternativa; a frente anti-imperialista, o movimento comunista e revolucionário internacional; a necessidade de profundas transformações antimonopolistas e anti-imperialistas; a alternativa do socialismo.

Ideias que ressaltam deste Congresso

As reflexões sobre os quatro temas em debate potenciaram uma melhor e mais fundamentada avaliação sobre Álvaro Cunhal, a sua vida, pensamento e luta e o aprofundamento do conhecimento da realidade histórica de diferentes períodos da vida de Portugal e do mundo, de uma grande riqueza e vivacidade.

Favoreceram igualmente uma melhor percepção da importância da base ideológica dos comunistas, dos grandes princípios, do enquadramento da realidade de cada momento com os elementos históricos em que se desenvolve, do enquadramento de cada parcela da realidade concreta na abordagem global do quadro em que se integra, da articulação da acção prática com a teoria que a orienta, de cada tarefa no projecto em cuja concretização se insere.

Permitiram também reflectir o marxismo-leninismo, o seu método dialéctico e a mestria com que foi utilizado por Álvaro Cunhal, cuja apreensão é de grande importância na acção política actual e futura.

Grandes contributos que permitiram a descoberta, a revisitação e a síntese de uma acção e pensamento cuja dimensão e profundidade ficou ainda mais clara.

Mais claros ficaram também os avanços a partir do contributo de Álvaro Cunhal e do projecto comunista sobre Portugal e o mundo de hoje, a caracterização, os objectivos e as tarefas que a situação impõe.

Reflexões de aprofundamento potenciaram análises, sob diferentes ângulos de visão, procurando projectar a estrutura do seu pensamento na sua relação dialéctica com a vida, com o Partido, com a acção revolucionária de transformação do mundo. Reflexões que, cruzando o seu pensamento e acção com o contínuo devir da experiência colectiva, se inseriram num processo de desenvolvimento criativo do marxismo-leninismo, como teoria ligada à vida e voltada para a sua transformação.

Os participantes, cuja inscrição e afluência superou expectativas, manifestaram a sua satisfação pelo modo como se havia conseguido resolver tecnicamente o sempre delicado problema da comunicação para três espaços diferentes e, sobretudo, pela profundidade da generalidade das comunicações ali transmitidas.

Um vasto e diversificado conjunto de análises que vem enriquecer criativamente o legado teórico de Álvaro Cunhal. Enriquecimento teórico que, construído em dialéctica relação com a prática do grande colectivo partidário, constitui um importante instrumento de trabalho neste continuado esforço de melhoria duma prática política ao serviço da transformação do mundo.

Tratando-se de uma ampla reflexão partilhada, podemos afirmar que este Congresso constituiu um importante instrumento de formação política, ideológica e cultural para todos aqueles para quem o legado teórico e o exemplo de Álvaro Cunhal continuam a projectar-se na actualidade e no futuro.

Tratando-se de um Congresso do qual não foram aprovadas conclusões, valendo pelo conjunto dos contributos e pela apreensão global e a síntese que cada participante deles pôde fazer, uma conclusão, no entanto, se pode tirar: o Congresso constitui um grande estímulo para o trabalho a prosseguir em várias dimensões, um contributo que enriquecerá cada um na sua intervenção e permitirá dotar o colectivo partidário de bases mais sólidas para cumprir o seu papel necessário, indispensável e insubstituível.

Importa prosseguir a descoberta de Álvaro Cunhal e do projecto comunista, avançar na análise e na intervenção sobre Portugal e o mundo de hoje com o projecto comunista e o contributo e de Álvaro Cunhal, inspirados pelo seu rigor e pelo seu exemplo.

(*) As comunicações a este Congresso vão ser publicadas na Revista Vértice. As saudações de abertura e as comunicações de apresentação dos temas podem ser consultadas em: www.alvarocunhal.pcp.pt (dossier do Congresso).