Proletários de todos os países: UNI-VOS! PCP - Reflexão e Prática

Festa do «Avante!», Edição Nº 343 - Jul/Ago 2016

Após o sucesso da Campanha - Uma bela Festa do Avante!

por Alexandre Araújo

A Campanha Nacional de Fundos «Mais Espaço Mais Festa – Futuro com Abril», constituiu, desde que foi anunciada, uma importante acção e iniciativa do Partido com o objectivo de aquisição da Quinta do Cabo para o alargamento e valorização da Festa do Avante!.

Constituiu também um importante êxito político e financeiro do Partido, tendo atingido os objectivos propostos, comprovando o reconhecimento e o apoio que a Festa recolhe, quer junto dos militantes do Partido e da JCP, quer de muitos outros democratas e de amigos do Partido e da Festa.

A recolha de mais de 1 200 000 euros permite responder aos compromissos assumidos com a aquisição da Quinta do Cabo e iniciar as muitas obras de infraestruturas e preparação do espaço para a sua incorporação na Festa do Avante!, já este ano, na sua 40.ª edição.

A Festa do Avante!, que este ano se realiza a 2, 3 e 4 de Setembro, beneficiará certamente do impulso que a discussão e o envolvimento do Partido na campanha nacional de fundos permitiu. Tal como na campanha se beneficiou do prestígio da Festa, da aspiração que constitui o seu alargamento e valorização, também na preparação e participação na Festa do Avante! se sentirão os resultados de perto de dois anos de trabalho em torno da campanha de fundos, de discussão de medidas, sugestões e propostas para o enriquecimento da Festa, e das expectativas criadas em torno desta edição da Festa.

A Festa do Avante! será uma iniciativa única, um importante espaço de valorização da cultura e das artes, de espectáculos, de música, de teatro, de cinema, um acontecimento de grande dimensão desportiva, uma mostra da realidade nacional com a presença de todo o País, um espaço de solidariedade internacionalista, local de importantes momentos políticos, tempo de três dias de intenso convívio e alegria a que ninguém pode faltar.

Todos os anos a Festa nasce da imaginação e do trabalho dos seus construtores. A preparação e planificação da Festa envolve centenas de camaradas, numa expressão destacada de exemplo de trabalho colectivo. A Festa deve também muitas das suas características à forma como é concebida, construída e colocada a funcionar, assente no funcionamento da organização do Partido e no trabalho militante.

Ao mesmo tempo, a Festa pelas exigências que coloca ao longo de todo o ano, mas em crescendo à medida que se aproxima e se iniciam os trabalhos da sua construção na Atalaia, constitui também um importante estímulo ao funcionamento das organizações do Partido, à responsabilização de quadros pelas múltiplas tarefas indispensáveis à sua realização, à mobilização de milhares de membros do Partido e da JCP, ao reforço da capacidade de atracção do Partido e de estímulo ao recrutamento.

Se todos os anos estes elementos são sentidos, este ano na preparação da 40.ª Festa todos eles serão sentidos de forma redobrada. O objectivo de incorporar a Quinta do Cabo na Festa do Avante!, de o fazer com toda a qualidade, transformando o espaço da Festa num único espaço, atingindo níveis de qualidade no espaço da Quinta do Cabo, tendo em conta que a Atalaia conta com mais de 25 anos de trabalho, investimentos e intervenção, coloca naturais exigências que só com o empenhamento de todo o colectivo partidário será possível dar resposta.

Será necessário um redobrado empenho, participação e mobilização para as Jornadas de trabalho de construção da Festa, que se iniciaram a 4 de Junho e se prolongarão até as portas da Festa se abrirem às 18 horas de dia 2 de Setembro.

A realização de Festa, incorporando a Quinta do Cabo, obriga a que ali sejam instaladas novas redes de energia e iluminação pública, novas redes de águas e esgotos, de telecomunicações, que sejam construídos novos acessos e arruamentos, que nasçam novas praças, que se cuide do manto vegetal e da sua arborização, da decoração e embelezamento da Festa.

A Quinta do Cabo vai receber a nova entrada da Festa, que substituiu a entrada da Medideira. Ali vão estar organizações do Partido, com a presença das suas regiões, com a sua gastronomia, o seu artesanato e produtos regionais, da actividade do Partido e a luta dos trabalhadores e das populações, nomeadamente as organizações regionais do Algarve, Braga, Coimbra e Porto. Na Quinta do Cabo vão também ficar localizados O Palco Arraial, com a presença de grupos de todo o país, e o Avanteatro, procurando uma localização que o defenda melhor de interferências de som e criando melhores condições para os espectáculos de teatro que ali decorrem.

No ponto mais alto da Quinta do Cabo, valorizando a 40.ª Festa do Avante! e a abertura aos seus visitantes deste novo espaço, ficará localizado o Espaço Central, coração político da Festa, onde ocorrerão dezenas de debates sobre os mais variados temas da actualidade política, onde tem lugar o cineAvante e as exposições de artes plásticas. O Espaço Central albergará também as principais exposições políticas patentes na Festa dedicadas este ano à precariedade, flagelo que atinge centenas de milhares de trabalhadores, em particular das novas gerações, no seguimento da campanha desenvolvida pelo Partido «Mais direitos. Mais futuro não à precariedade»; à situação política, que centrada no actual momento afirmará a luta dos trabalhadores e das populações como indispensável para defender, repor e conquistar direitos e valorizará o papel indispensável e insubstituível do PCP para as soluções dos problemas nacionais, afirmará a proposta de uma política patriótica e de esquerda e a importância do PCP e do seu reforço, em todos os planos, no ano em que vai realizar o seu XX Congresso; às 40 Festas do Avante!, valorizando os seus principais traços e características, destacando alguns dos seus principais momentos e projectando para o futuro e valorização desta grande realização; e ainda uma exposição dedicada à Mascara Ibérica, valorizando este elemento de identidade e cultura popular.

É também para valorizar a 40.ª Festa do Avante, que será na nova praça, junto ao Pavilhão Central, que se realizará o acto de abertura e será declarada aberta a Festa do Avante!.

Mas valorizando a abertura do espaço da Quinta do Cabo, toda a Festa sai valorizada com este alargamento do seu espaço. Saem valorizados outros espaços de animação, como o Café Concerto de Lisboa, os Palcos do Alentejo e o de Setúbal, o Palco Novos Valores, onde tem presença os vencedores dos concursos de bandas organizados em todo o País pela JCP e abrem-se novas possibilidades, que se começam a explorar na animação de rua e dos espaços da Festa, ou na criação de novos espaços, como por exemplo este ano, pela mão da Organização Regional de Lisboa, de um espaço com programa inteiramente dedicado ao Fado.

Sai valorizado o Espaço Internacional, que ganha uma nova área, permitindo a criação de um espaço com uma programação de debates e momentos de solidariedade, e um novo local para o Palco Solidariedade.

Saem valorizados o espaço da Ciência e da Festa do Livro e do Disco, que ganham nova centralidade. Sai valorizado o espaço do Desporto, permitindo alargar a participação dos visitantes da Festa e a presença, já de si muito ampla, do desporto na Festa.

Saem valorizados todos os espaços das Organizações Regionais do Partido, que com mais espaço permite alargar a presença política e cultural e criar melhores condições para receber os milhares de visitantes.

Sai valorizado o Espaço da Criança, que beneficiando da melhor zona de sombra da Festa ganha novos brinquedos e espaços de actividades, o que, associado a elementos do programa a elas especialmente dirigido, permitirá momentos ainda mais agradáveis às muitas crianças e suas famílias que visitam à Festa.

Saem valorizados outros aspectos do funcionamento da Festa, para permitir três dias de pleno usufruto, de que se destacam as medidas para prosseguir a melhoria e qualificação do Acampamento exterior, que temos vindo a desenvolver nos últimos anos, e que, segundo todos os testemunhos de quem o tem procurado, tem ali a melhor solução e mais económica para quem quer permanecer durante os três dias junto da Festa e vivê-la com toda a intensidade e tranquilidade.

O esforço desenvolvido para a recolha de contribuições, opiniões e sugestões para a valorização e enriquecimento da Festa do Avante! permitiu que se avançasse já muito, mas importa prosseguir esse trabalho, envolvendo a organização e os militantes do Partido e da JCP e muitos outros amigos do Partido e da Festa, e também os visitantes da Festa, que a fazem também sua, conhecendo a sua vivência e as suas experiências.

São enormes as potencialidades abertas com o crescimento da Festa, que importa saber aproveitar em toda a sua plenitude a partir já da experiência da Festa de 2016, potenciando vasta experiência acumulada, pelo Partido e por muitos dos seus quadros, mas fugindo a rotinas e hábitos instalados, promovendo o estudo dos problemas e das soluções, a resposta a novos desafios e realidades, garantindo uma adequada planificação de todas as vertentes da preparação da Festa, sempre com o objectivo de garantir a capacidade de atracção da Festa, a criação de novos pólos de interesse e atracção e a melhoria das condições para a deslocação, estadia, alojamento e usufruto da Festa pelos seus visitantes.

Estamos já numa fase decisiva da preparação da Festa do Avante!, que na Atalaia e agora também na Quinta do Cabo a Festa está a ser erguida. É já possível adivinhar os contornos dos Pavilhões e dos espaços da Festa e ver a Festa a crescer e a tonar-se cada dia mais bonita, mas como temos sublinhado, não deixando que se verifiquem atrasos e dando resposta ao acrescido trabalho que este ano temos entre mãos, a Festa e o seu êxito não se constroem apenas na Atalaia.

Por todo o País, em todo o Partido, se prepara a Festa nas suas múltiplas e diversificadas dimensões. Preparando os conteúdos do seu programa, dos seus espectáculos e exposições, os conteúdos da participação da cada organização na Festa, cuidando da mobilização do Partido para garantir a multiplicidade de serviços indispensáveis aos funcionamento da Festa, quer nos espaços das organizações e sectores, quer dos seus espaços centrais e do conjunto de serviços essenciais para a estadia dos milhares de visitantes da Festa.

E cuidando da divulgação e promoção da Festa e da venda da EP – Entrada Permanente, que é, e deve ser cada vez mais, entendida como um título de solidariedade para com a realização e a construção da Festa, e que constituem prioridades primeiras no âmbito da preparação da Festa e são garantia do seu êxito.

São muitas as motivações para a participação na Festa entre os seus muitos milhares de visitantes, a toda elas é preciso encontrar forma de dar resposta, divulgando a data e o local da sua realização, e os elementos do programa e outros que possam contribuir para a decisão antecipada de participar na Festa e adquirir a EP.

Muitos criaram a tradição de participar todos os anos, outros são visitantes ocasionais, muitos outros nunca estiveram na Festa, a todos será necessário demonstrar que esta será uma Festa a que não podem faltar.

A discussão no Partido da mobilização para a Festa e da venda da EP, pode desempenhar um importante papel e estímulo para que mais membros do Partido, antecipem a compra da EP e decidam da sua participação na Festa. Em muitos casos tornar-se-à indispensável a organização e preparação de excursões e outros meios de deslocação organizada para a Festa, como é o caso do Comboio da Festa, promovido pela JCP.

Para muitos visitantes é indispensável conhecer o programa da Festa, os seus espectáculos e outros aspectos do seu conteúdo para que assumam a decisão de participar. O papel da organização do Partido é essencial na divulgação e promoção da Festa. A Festa não beneficia do tratamento noticioso que é desenvolvido em torno de outros eventos. É na dinamização e diversificação dos meios de propaganda, é na promoção de amplos contactos directos em pontos de grandes concentrações, nomeadamente de juventude, em escolas, empresas, nas praias e zonas de veraneio, entre outras, aproveitando e dinamizando a distribuição do Jornal dos Artistas da Festa, cuja saída se verifica no dia 23 de Junho.

É na organização da presença da Festa nas ruas, nas festas populares, junto de grandes eventos de massas, na organização de carros de som e estúdios móveis, na dinamização de bancas que se pode levar mais longe o conhecimento sobre a Festa e alargar as possibilidades de mobilização e participação.