Proletários de todos os países: UNI-VOS! PCP - Reflexão e Prática

XXI Congresso, Edição Nº 370 - Jan/Fev 2021

O Centenário do PCP

por Manuel Rodrigues

As comemoração do Centenário são um momento particularmente importante na vida do Partido.

Aproveitá-las-emos como uma especial oportunidade para reafirmar a determinação do PCP na luta por uma sociedade sem exploradores nem explorados da qual sejam banidas todas as desigualdades, injustiças, discriminações e flagelos sócias que assegurem o bem-estar material e espiritual do povo – a sociedade socialista tendo no horizonte o comunismo.

Reafirmaremos o PCP como o Partido da luta pela emancipação da mulher, pelo direito das crianças e da juventude, pela dignidade e condições de vida dos reformados e idosos, pelos direitos dos intelectuais e quadros técnicos, e das pessoas com deficiência, pela defesa dos interesses dos pequenos e médios agricultores e dos micro, pequenos e médios empresários.

O Partido da luta contra o colonialismo e as guerras coloniais, pelo direito à independência das colónias portuguesas, o Partido da Revolução de Abril, das suas conquistas e avanços, da resistência a contra-revolução; o Partido da luta em defesa da independência e soberania nacional, o Partido da solidariedade internacionalista, da Paz, amizade e cooperação com todos os povos; o Partido da luta pela satisfação das mais urgentes e sentidas reivindicações dos trabalhadores e das populações; o Partido da luta pela ruptura com a política de direita e por uma política alternativa patriótica e de esquerda, parte integrante da luta por uma democracia avançada inspirada nos valores de Abril, o Partido da luta pelo socialismo e o comunismo.

Sob o lema «Liberdade, democracia e socialismo – O futuro tem Partido», as comemorações tiveram início no grande e combativo comício do 99.º aniversário no Pavilhão Carlos Lopes, em Lisboa, e vão ter agora um momento de extraordinária importância política na afirmação e divulgação do ideal e do projecto comunistas e no alargamento da influência do Partido, no comício de 6 de Março de 2021, dia do Centenário, no Campo Pequeno, em Lisboa. Um comício que requer, desde já, particular atenção e medidas que garantam uma forte participação organizada.

Entretanto, muitas outras iniciativas vão ter lugar, de que se destacam: a edição do livro «100 anos de luta ao serviço do povo e da pátria pela democracia e o socialismo»; o prosseguimento do ciclo de debates sobre o Programa do PCP, os seus objectivos, a identidade comunista, o ideal e o projecto comunistas, a sua história ímpar ao serviço dos trabalhadores, do povo e da pátria; a sua dimensão internacionalista e tarefas nacionais; exposições, com forte expressão na próxima Festa do Avante!, encontros regionais sobre «o PCP, o seu reforço e a luta pela defesa dos direitos dos trabalhadores»; iniciativas com uma vertente cultural sobre «o PCP e o 25 de Abril» e iniciativas dirigidas à juventude, às mulheres e a outros sectores específicos. As comemorações contarão ainda com a produção de um documentário e terão expressão no plano internacional com uma iniciativa específica.

No âmbito das comemorações do Centenário, tem igualmente destaque um amplo programa de reforço do Partido.

Hoje, quando comemora 100 anos de luta ao serviço do povo e da pátria, o PCP dirige-se aos trabalhadores e ao povo português reafirmando a sua determinação em prosseguir essa luta revolucionária por uma sociedade socialista que incorpore e desenvolva os elementos constitutivos fundamentais da democracia avançada e concretize o poder dos trabalhadores e do povo.

Às organizações do PCP cabe agora a audácia de levar por diante os seus próprios programas regionais ou sectoriais de comemorações, de dar força a este Centenário, de envolver nelas os trabalhadores e o povo, os democratas e patriotas, que compreendem que sem a intervenção do PCP não é possível um Portugal com futuro.

É por isso que dizemos que somos mais projecto que memória e que o futuro tem Partido.

O futuro tem Partido! E com um partido como este será a liberdade, a democracia e o socialismo a dar-lhe o rosto. Um rosto seguramente mais humano, mas sem exploração também mais feliz.

Viva o XXI Congresso!

Viva o Partido Comunista Português!