Proletários de todos os países: UNI-VOS! PCP - Reflexão e Prática

Edição Nº 335 - Mar/Abr 2015

Rúbrica: Partido

Dias Lourenço, revolucionário para quem a luta era uma felicidade

por Domingos Abrantes

O modo convicto como o camarada António Dias Lourenço entendia a sua condição de comunista revolucionário, expresso na afirmação de que «estar neste combate é uma felicidade», traduz numa só frase o balanço de toda uma vida de plena entrega à causa da liberdade, do socialismo e do comunismo. Uma causa a que aderiu ainda muito jovem e a que se entrega com inabalável confiança, abnegação e alegria transbordante, apesar dos enormes sacrifícios e situações dolorosas que teve de suportar pela sua opção comunista: clandestinidade, prisões, torturas brutais, longos anos de separação dos filhos, a prisão da filha Ivone e a trágica morte de um filho pequeno quando se encontrava preso.