Proletários de todos os países: UNI-VOS! PCP - Reflexão e Prática

Centenário, Edição Nº 371 - Mar/Abr 2021

Um livro indispensável. 1921-2021 – 100 Anos de Luta

por Revista «O Militante»

Já está à venda o livro «100 anos de luta ao serviço do povo e da pátria, pela democracia e o socialismo» editado pelas Edições «Avante!» por ocasião do Centenário do Partido Comunista Português. Não constituindo propriamente uma História do PCP, é uma obra indispensável para quem queira conhecer uma trajectória revolucionária ímpar.

Foi lançada publicamente no dia 4 de Fevereiro, numa sessão na Casa do Alentejo com a presença e uma intervenção de fundo de Jerónimo de Sousa, Secretário-geral do PCP, e intervenções de Rui Mota, das Edições «Avante!», e Manuel Rodrigues, membro da Comissão Política e Director do jornal Avante!, de quem publicamos extractos da sua apresentação do livro.

O Partido Comunista Português e as Edições «Avante!» fazem aqui hoje a apresentação do livro «100 anos de luta ao serviço do povo e da pátria, pela democracia e o socialismo», que se insere nas comemorações do Centenário do Partido Comunista Português, que decorrem sob o lema «Liberdade, democracia e socialismo – o futuro tem Partido».

Trata-se de uma obra que constitui um importante documento de registo de alguns momentos e acontecimentos marcantes da vida do PCP e da sua história de 100 anos, cruzados com a história de Portugal e do mundo e da luta dos trabalhadores e do povo português, já que a luta e a história do PCP é inseparável da luta dos trabalhadores portugueses, assim como a luta dos trabalhadores portugueses desde 1921 é inseparável da luta e da história do PCP.

Nela se assinalam traços específicos de caracterização das múltiplas dimensões desta intensa intervenção ao longo de 100 anos: no contexto político, económico, social e cultural que o viu nascer; nas motivações que levaram à sua fundação a 6 de Março de 1921; na história heróica da sua resistência ao fascismo; nos seus combates pela organização, unidade e luta dos trabalhadores; na definição dos seus objectivos para cada momento e situação concreta, indissociáveis dos objectivos supremos para que se dirige a sua acção; na dinamização da unidade democrática; nas lutas para o derrubamento do fascismo e instauração da liberdade e da democracia; no impulso dado à Revolução de Abril e pelo avanço das suas extraordinárias conquistas; na resistência à contra-revolução; na luta contra a política de direita, institucionalizada a partir da tomada de posse do I Governo constitucional, na segunda metade de 1976; no combate à restauração do capitalismo monopolista em Portugal, objectivo central da política de direita prosseguida por diversos governos do PS, PSD e CDS até aos nossos dias; na defesa da soberania e independência nacional; na luta pela emancipação da mulher; na luta pela paz; nos combates pela democratização da cultura; nas múltiplas manifestações concretas de solidariedade internacionalista; na grande realização político-cultural que é a Festa do Avante!, sublime expressão de acção política, fraternidade, alegria, desporto e cultura; no insubstituível valor da sua base teórica, o marxismo-leninismo; na sua profunda democracia interna; na construção colectiva dos seus programa e estatutos; na afirmação e reafirmação da sua identidade comunista.

Mas igualmente na sua luta, nestes anos mais recentes, contra a política de agravamento da exploração e empobrecimento nacional concretizada nos PEC e no Pacto de Agressão; na luta pela libertação do País das imposições da União Europeia, do euro e do capital monopolista; na intervenção pela defesa, reposição e conquista de direitos; na luta pela alternativa patriótica e de esquerda, parte integrante de uma democracia avançada inspirada nos valores de Abril; na sua luta de sempre pelo socialismo e o comunismo, objectivos supremos que presidiram à sua criação em 1921 e continuam a nortear a sua acção nos dias de hoje, como exigência da actualidade e do futuro.

(…)

Trata-se de um importante documento com 304 páginas, 38 capítulos, numerosos textos sempre construídos sob a preocupação da síntese, incluindo as mais de mil legendas e notas e um pequeno texto de análise sobre cada um dos 21 congressos. São mais de 900 imagens, incluindo as centenas de fotografias, muitas das quais inéditas ou de grande formato que acompanham todo o texto, fotos magníficas e de uma expressiva beleza no que projectam de verdade na relação do Partido com o povo e com a pátria, na luta constante por uma vida melhor, pela democracia e o socialismo.

Não foi, contudo, possível incluir nesta obra todos os elementos da luta popular e da história do PCP ao longo de 100 anos. Houve necessidade de seleccionar documentos e momentos, que, embora não resultando de um levantamento definitivo, representam um valioso e significativo contributo para o conhecimento desse riquíssimo período da nossa história nacional.

O livro é constituído por 15 capítulos cronológicos a que se associam mais 22 capítulos temáticos, de menor dimensão, que abrem campo a abordagens mais concentradas e com maior especificidade ou de aprofundamento sobre aspectos, traços, características ou acontecimentos transversais à sua vida ou a grandes dimensões da sua actividade, como são, entre outros, os capítulos: «a instauração do fascismo», «a vida clandestina», «a ditadura terrorista do capital monopolista, «a imprensa clandestina», as fugas», «a via para o derrubamento do fascismo», «o processo contra-revolucionário», «soberania e independência nacionais», «identidade comunista», «os comunistas e o movimento sindical», «a acção nas instituições ao serviço dos trabalhadores e do povo».

Optou-se por uma periodização balizada por acontecimentos marcantes na vida do PCP, entre 1921 e 2021, com tratamento harmónico e equilibrado dos diferentes momentos da intervenção do PCP, com excepção para a Revolução de Abril que, como acontecimento maior da história do povo português e da própria intervenção do PCP, mereceu um tratamento mais extenso e aprofundado, distribuído por um capítulo cronológico – «A Revolução de Abril» – e dois capítulos temáticos: «As conquistas da Revolução» e «o PCP na Revolução», ilustrados por um diversificado conjunto de imagens, algumas das quais de grande formato, procurando dar expressão ao extraordinário movimento de massas que marcou a dinâmica revolucionária desse período.

Na abordagem, quer cronológica quer temática, adoptaram-se os critérios que presidiram à elaboração da obra editada aquando do 60.º aniversário do PCP, incluindo uma síntese do texto referente ao período de 1921 e 1981.

Não se pretendeu fazer a história do PCP, certamente mil vezes mais rica do que aquilo que foi possível compaginar neste livro. Trata-se, isso sim, de uma compilação de elementos significativos da sua vida, indissociável da luta dos trabalhadores e do povo português e da afirmação do seu ideal e projecto.

(...)

Neste livro está muita da história da vida e luta dos comunistas portugueses e do seu Partido, o Partido Comunista Português.

São 100 anos de luta de um Partido que mais do que memória é projecto. Partido imprescindível na actualidade e no futuro. 100 anos de luta ao serviço do povo e da pátria, pela democracia e o socialismo.

São 100 anos que nos abrem um horizonte de esperança. Aprendendo com os ensinamentos dos erros e derrotas, mas também com as lições das vitórias, conquistas e avanços, temos razões de confiança para afirmar que a luta continua e o futuro tem Partido.