Proletários de todos os países: UNI-VOS! PCP - Reflexão e Prática

Edição Nº 331 - Jul/Ago 2014

Rúbrica: Efeméride

Os trabalhadores e o povo português na I Guerra Mundial

por Joana Dias Pereira

A participação de Portugal na guerra é indissociável da conjuntura política vivida em Portugal na segunda década do século XX. A jovem República desejava afirmar o novo regime além-fronteiras e defender as colónias africanas em perigo perante os avanços alemães. Foi neste continente que os portugueses se envolveram nos primeiros conflitos militares, em 1914. As expedições africanas visavam consolidar a ocupação e colonização de Angola e Moçambique, para o qual era indispensável o apoio da velha aliada – a Inglaterra. No decorrer do conflito, apesar de Portugal ter começado por assumir uma posição de neutralidade colaborante, o seu crescente apoio aos aliados torna inevitável o seu envolvimento no palco de guerra europeu.

Nos 100 anos da I Guerra Mundial

por Jorge Cadima

No dia 28 de Julho deste ano cumpre-se um século do início da I Guerra Mundial, uma guerra que ficou conhecida apenas pela designação de Grande Guerra – até que 25 anos mais tarde o capitalismo europeu desencadeou um segundo grande conflito bélico, de ainda maiores proporções. A Grande Guerra foi o reflexo das rivalidades inter-imperialistas entre as maiores potências do seu tempo. Travou-se sobretudo no teatro europeu e alterou profundamente o mapa político, levando à derrocada de quatro grandes impérios que haviam marcado o mundo durante décadas, ou mesmo séculos: o Império Austro-Húngaro, o Império Czarista na Rússia, o Império Alemão, criado após a reunificação da Alemanha em 1871, e o Império Otomano. Mas se a I Guerra Mundial marcou o fim dum velho mundo, haveria também de ser o catalizador dum acontecimento que marcou para sempre a História da Humanidade: a grande Revolução Socialista de Outubro na Rússia, que assinalou a entrada em cena dos povos como actores de primeiro plano da História e o primeiro grande passo para a libertação da Humanidade das sociedades baseadas na exploração de classe.